Equipe técnica e produtor rural da Laticínio Stefanello marcam presença na Reunião Pública sobre a normativa 76 e 77, do Mapa.

19 de junho de 2019

A oitava reunião pública sobre as instruções normativas 76 e 77 do Mapa, que preveem novas regras para a comercialização de leite para a indústria, foi realizada nesta terça-feira, dia 18, em Frederico Westphalen, no salão de atos da URI-FW. O encontro foi organizado pelo Sindilat/RS, com a parceria de demais entidades relacionadas ao setor.

Entre os palestrantes, esteve a médica veterinária do Mapa, Milene Cé, que fez um resgate do trabalho em torno da legislação brasileira relacionada à qualidade de leite no Brasil e Roberto Lucena, responsável pela aprovação do projeto mais leite saudável do MAPA.

A Laticínios Stefanello marcou presença nesta reunião através da apresentação do Médico Veterinário Maicon Silvestrin, produtor de leite Emerson kolwoski, Diretor Geral Ricardo Stefanello, onde foi possível discutir e esclarecer sobre a nova legislação que vai interferir muito tanto na indústria quanto no produtor de leite quando se trata na qualidade do leite. Vários produtores rurais da Stefanello, transportadores, bem como toda a equipe técnica esteve presente neste ato.

O que diz a nova normativa

A IN 76 trata das características e da qualidade do produto na indústria. Na IN 77, são definidos critérios para obtenção de leite de qualidade e seguro ao consumidor e que englobam desde a organização da propriedade, suas instalações e equipamentos, até a formação e capacitação dos responsáveis pelas tarefas cotidianas, o controle sistemático de mastites, da brucelose e da tuberculose.

Segundo o Mapa, em relação à identidade e qualidade, foi mantida a contagem bacteriana máxima de 300 mil unidades por ml e 500 mil células somáticas por ml no caso do leite cru refrigerado. O produto não deve apresentar substâncias estranhas à sua composição, como agentes inibidores do crescimento microbiano, neutralizantes da acidez nem resíduos de produtos de uso veterinário.

Com o novo regramento, os produtores poderão intensificar o controle na obtenção de leite, aplicando ferramentas de gestão de qualidade nas propriedades, incluindo manejo sanitário, refrigeração e estocagem, qualidade da água, uso racional de medicamentos veterinários, adoção de boas práticas de bem-estar animal.

 

 

Fonte: Marketing Stefanello

Imagens


Compartilhe